FrontinSampa, acessibilidade e o tapa na cara que levei

Foi um baita de um tapa. Foi um soco no estômago. Assim que me senti vendo a palestra da Lêda Spelta no FrontinSampa desse ano.

É constrangedor ver que, mesmo depois de participar de tantas palestras e talks sobre o assunto, eu ainda aplicar pouca coisa que aprendi em grande parte dos sites que desenvolvi...

Fiz um post, dia 25 agora, antes do FrontinSampa, sobre Semântica e as classes falando um pouquinho sobre microdatas e alguns atributos WAI-ARIA - antes de saber que ía levar um soco na cara sobre o assunto...

Ver a Lêda tentando visitar um site (não me recordo o endereço) foi incômodo, irritante e inquietante. Ela simpleslemente não conseguia chegar aonde queria por que o conteúdo não estava classificado de forma correta.

Imagem da Lêda Spelta palestrando no FrontinSampa Fonte: Frontinsampa 2014, por Leandro Godoi


Infelizmente temos o seguinte cenário:

  • as heading tags (<h1>, <h2>...) são usadas pra diferenciar o tamanho e cor de texto ao invés de classificar e ordernar o conteúdo;
  • usamos <div> pra quase tudo;
  • não aplicamos as roles nos elementos;
  • não usamos as novas tags <section>, <article>, <nav>...;
  • não preenchemos os atributos alt ou title...;

E tem muito mais coisa que prejudica a navegação. A lista é longa...

Viu quanta coisa bobinha de corrigir? Mas te garanto que faz uma tremenda diferença pra quem precisa acessar seu conteúdo!

Falácias pra fazer um site minimamente acessível

Ouvindo mais a palestra eu pude lembrar das desculpas que eu mesmo uso no dia-a-dia pra não aplicar pelo menos o mínimo possível de acessibilidade.

Listei algumas que eu mesmo já usei e tenho certeza que alguns vão se identificar...

"Custa tempo pra aplicar"

Essa é a mais usada. Começou o projeto e, se alguém fala de acessibilidade, logo vem o discurso padrão sobre "demora" pra fazer.

Eu não sei se isso é culpa de nós mesmos, desenvolvedores, que queremos evitar um tempo a mais pra pensar no conteúdo e sua organização ou se é alguém que implantou essa idéia na cabeça de uma pessoa e se espalhou por aí como vírus.

Na real, aplicando uma semântica adequada, boa parte do conteúdo já fica acessível para os leitores de telas comuns.

Além de ficar acessível, você ganha em organização do seu markup e consequentemente ajuda o site no SEO.

Então, a falácia do "tempo é dinheiro" nesse caso, cai por terra.

"O objetivo do site X não é esse"

Batman acenando com a cabeça decepcionado

Eu já ouvi essa algumas vezes. E até já me peguei falando isso, confesso.

Mas é vergonhoso pensar nesse sentido. É o mesmo que estacionar em vaga de idoso num horário que eu "acho que idoso não vai sair de casa". Ou a clássica "é só um minutinho" quando o cara-de-pau para na vaga para portador de necessidade especial...

Você simplesmente não pode definir que site X ou Y não precisa ser acessado por alguém com necessidades especiais. Isso é uma bobagem sem tamanho!

"Eu não manjo muito, tenho que fazer um curso"

Sério? Com tantos posts, documentos e especificações disponíveis é até vergonhoso falar isso!

Datena mandando uma

Cito aqui alguns artigos pra você se aprofundar de vez no assunto.

http://imasters.com.br/front-end/web-standards/falando-sobre-aplicacoes-e-conteudo-dinamico-acessivel/

http://tableless.com.br/cabecalhos-nivel-1-e-sections/

http://heydonworks.com/practicalariaexamples/

http://www.w3.org/TR/wai-aria/

http://www.marcozehe.de/2014/03/27/what-is-wai-aria-what-does-it-do-for-me-and-what-not/

...

"Não vou conseguir convencer meu chefe"

Walter White, personagem de Breaking Bad, dizendo

Em primeiro lugar, você nem precisaria! Até porque, se seu markup pode começar a ser mais acessível usando regras de semântica, não há necessidade de aprovação de ninguém.

Além disso, depois que você começar a aplicar, com certeza seu chefe vai gostar dos benefícios que acessibilidade traz, como já falei logo acima.

Ah, e não subestime seu chefe! Às vezes fazemos uma impressão ruim das pessoas e que geralmente não condiz com a realidade. De repente você está dando uma desculpa usando esse argumento preconceituoso...

E agora?

Depois que saí do FrontinSampa fiquei com uma vontade maluca de alterar tudo quanto é site que fazemos na MustacheLabs. O problema é que, correr atrás do prejuízo é bem mais complicado do que parece...

Porém, já decidimos que, aplicar acessibilidade não vai ser mais um item apenas teórico aqui. Semântica, WAI-ARIA e microdatas vão virar padrão! Chega de arrumar desculpas!

Vamos embarcar nessa junto? Tá em algum projeto em desenvolvimento? Aplica semântica e WAI-ARIA aí pô!!!

E se você já está fazendo isso...

Dwight, personagem do seriado The Office pulando e comemorando com um extintor na mão

Links importantes

Vídeo importantíssimo de se assistir (com Bruno Torres, Horácio Soares, Lêda Spelta e o MAQ) > https://www.youtube.com/watch?v=hFI4CuxQjSA

comments powered by Disqus